API First – Uma estratégia de mercado

API_MATERA_4O que aplicativos como o do Twitter ou do Uber tem em comum com os aplicativos de transações bancárias?

O uso de APIs como forma de integração!

Nesse texto você entenderá por que as soluções hoje são desenhadas a partir das APIs e não mais das telas ou do já ultrapassado mobile first.

Atualmente fornecer ou consumir APIs tornou-se essencial para vários ramos de negócios, por essa razão, o conceito de API First vem sendo tão popularizado.

Mas, a final de contas, o que é API First?

É conseguir gerar e monetizar negócios criando e expondo APIs REST, ou seja, é desenvolver serviços que sejam interessantes para o mercado consumir. Nesse cenário, a API passa a ser um produto que faz parte da solução integrada de outro produto.

Para que uma linha de negócio onde o carro-chefe seja disponibilizar serviços e gerar capital funcione, é extremamente importante que a API seja bem construída.
Partindo do princípio onde devemos primeiro pensar na API em si e depois trabalhar no que vem por trás dela, seguem algumas dicas importantes:

1 – Não criei API para um único canal
Não faça uma API pensando que esta será consumida apenas por dispositivos moveis. Uma API tem que ser criada independente do canal de utilização, uma vez que ela pode ser chamada por um dispositivo móvel, por um equipamento eletrônico (IoT), por uma aplicação web etc.
A chave do negócio é a criação de APIs focada na disponibilização de informações que agregam valor para quem for consumi-lá, independente do canal que será utilizado para isso.

2 – Gere uma boa documentação
Uma boa documentação é o segredo para iniciar novos negócios com o uso de APIs. Uma vez que a idéia seja expor a API, é importante que seja disponibilizado uma documentação clara e bem definida do serviço, que permita a quem construir as chamadas não ter dificuldades para entender o objetivo a que tal API se propõe.
O mercado vem adotando como ferramenta para construção de documentação REST o Swagger.
Mais detalhes no post: Swagger: Como Gerar Uma Documentação Interativa Para API REST

3 – Siga o modelo de desenvolvimento
Para o sucesso da API, é importante garantir que esta seja modelada corretamento. Que a sua construção seja baseada em boas praticas adotadas pela comunidade de desenvolvimento RESTful, assim quem a consumir não terá problemas de estrutura, pois a API segue os padrões de mercado.
Mais detalhes no post: Boas Práticas Para Desenvolvimento De APIs REST

4 – Garanta a qualidade
Ninguém quer utilizar uma API cheia de erros ou inconsistência, portanto, é essencial que toda API seja bem testada, garantindo que cumpra o propósito ao qual foi definida e construída
Mais detalhes nos posts: Como Testar Uma API REST? e Rest-Assured: Como Criar Testes Automáticos Para API REST?

5 – Para ser boa, tem que ser segura!
Um dos itens mais importantes que deve ser bem modelado e desenvolvido, diz respeito à segurança envolvida na API. A idéia é expor o serviço para o mercado, portanto, deve existir uma camada de segurança para garantir que a API apenas só será acessada por quem possuir autorização, além de garantir o trafego de dados da API de forma segura.
Mais detalhes no webinar: Segurança De APIs REST: Conhecendo Oauth

6 – Lembre-se da performance
Na maioria das vezes uma API não é construída com o intuito de ser subutilizada. Esperasse que o serviço possa ser chamado diversas vezes ao mesmo tempo por inúmeras aplicações e usuários diferentes, recebendo milhares de requisições por segundos ou mesmo tendo que retornar um grande volume de informações. Nesses cenários é essencial que a API seja pensada e desenvolvida para tratar questões de performance e volumetria.
Mais detalhes nos posts: Otimização De Performance Em APIs RESTful (Parte 1) e Otimização De Performance Em APIs RESTful (Parte 2)

Esses são alguns pontos relevantes que devem ser levados em consideração para a modelagem e construção de uma API REST.

Há várias razões para seguirmos a tendência de API First como estratégia de negócio, essa estratégia vem sendo adotada para a criação de novos produtos e até mesmo para a reinvenção de produtos ou empresas que estavam perdendo mercado por conta da transformação digital.
A frase de Uri Sarid CTO da MuleSoft resume bem o conceito de API First:

“People are looking at APIs as products that need to be packaged and delivered and documented and they have product managers and so on. And this deliberate market shift toward API-first or at least API-priority, drives up the quality and the timeliness of a lot of these API initiatives”.

Por MONISE COSTA

Formada em Sistemas de Informação pela PUC Campinas, MATERANA desde 2011. Apaixonada pela área de TI, Analista de Requisitos na maior parte do tempo e desenvolvedora Java/Android por lazer.

Postado em: 30 de agosto de 2016

Confira outros artigos do nosso blog

[Webinar] Profile de aplicações Java com Oracle Mission Control e Flight Recorder

24 de julho de 2017

Danival Calegari

Criando Mocks de serviços REST com SoapUI

27 de junho de 2017

Monise Costa

Three laws that enable agile software development

09 de março de 2017

Celso Gonçalves Junior

Medindo performance de uma API REST

21 de fevereiro de 2017

Monise Costa

Deixe seu comentário