Aplicando Testing Dojo

Você já deve ter ouvido falar sobre Coding Dojo, certo? O Coding Dojo é uma técnica onde um grupo de desenvolvedores reúnem se para praticar e exercitar a arte da programação cujo objetivo final é a  troca de feedbacks e  identificação das melhores e piores práticas. Com isso, percebemos que o Dojo tende a ser uma excelente ferramenta para o aprendizado, troca de experiências e aprimoramento de habilidades. Atualmente o Coding Dojo é uma técnica que faz muito sucesso na comunidade de programadores, então, porque não utilizar o metodologia com Testadores?

O Testing Dojo  não é uma prática que ouvimos muito entre os testadores, mas que traz os mesmos ganhos e benefícios que os Codings Dojo para os desenvolvedores, podendo-se utilizar os mesmos métodos do Coding Dojo para o Testing Dojo.

Como seria um Testing Dojo?

Testing Dojo seria um encontro onde serão dadas missões para um grupo de Testadores, podendo estas ser: teste em um aplicativo, automação de alguma aplicação, análise de requisitos e especificação dos planos de teste, entre muitas outras. Essas missões devem ser divididas em pequenos passos que levaram a sua conclusão (Babysteps). O importante é propor uma missão em que todos possam participar com  segurança para tentar sem medo de errar, e que ao final irá agregar conhecimento ou valor para cada membro do grupo.

Equipamento

Como o intuito do Dojo é ser o mais simples e dinâmico é exigido o mínimo possível de infra para que Dojo aconteça de forma natural. Os itens essenciais são:

  • Uma sala para a reunião;
  • Um computador;
  • Projetor ou TV;
  • Post-it, quadro ou flipchart;
  • Canetas.

O ideal é que os participantes não levem cadernos para anotações próprias, todas as anotações devem ser feitas nos post-its e compartilhadas posteriormente.

Papéis

No Dojo cada pessoa no grupo tem um papel importante para o funcionamento e dinâmica do treinamento, são eles:

  • Testador (Piloto): Pessoa ao computador, pensando e executando a missão dada ao grupo. A todo momento o Piloto deve falar em voz alta o que está executando e pensando.
  • Navegador (Co-Piloto): Pessoa que antecede o Piloto, está como apoio caso o Piloto tenha alguma dúvida ou não saiba como prosseguir.
  • Observador: Não estará participando da resolução da missão, e sim observando a interação dos outros testadores que estão trabalhando, deve tomar nota do processo como, interação de um testador com o outro, pensamentos expostos pelo piloto, ações tomadas.
  • Facilitador: O “Líder” do Dojo, responsável por explicar a dinâmica, escolher as missões, determinar e controlar o tempo que cada piloto tem para executá-las.

Dinâmica

O Testing Dojo se inicia com o Facilitador dando a introdução sobre o Dojo. Seu objetivo é esclarecer a estrutura e fornecer a missão que deverá ser executada. Ele também deve informar o tempo que cada Piloto deverá permanecer no computador executando a tarefa, podendo esse tempo ser de 5 a 10 minutos.

Após a introdução o primeiro Piloto inicia a missão, encerrando o período de tempo estipulado pelo Facilitador, o Piloto pula de lugar e o Co-Piloto assume a posição de Piloto. O testador que estava ao lado do Co-Piloto assume o lugar do mesmo e assim deve prosseguir até que todos passem pelo papel de Piloto ou a missão seja cumprida.

É muito importante que os demais testadores que não estão no papel de Piloto estejam sempre atentos para o que está acontecendo e fazendo notas nos post-its sobre ações tomadas, dúvidas, aprendizagens, pois ao final da rodada, tais anotações serão discutidas pelos participantes.

Retrospectiva

Ao final de cada rodada é tirado um tempo onde todos os post-its com anotações feitas pelos Testadores e Observador são colocados no painel. O Facilitador irá passar por cada post-it e o grupo deve discutir fazendo uma reflexão se aquilo foi algo bom ou ruim, sugerir melhorarias e lições aprendidas. Essa parte é muito importante no Dojo, pois nela tiramos os ganhos do treinamento, ações que podem ser tomadas e ideias para um próximo Dojo.

Abraços, até a próxima 😉

Referências

Por ELLEN JACQUELINE ALONSO MOTA

Graduada em Análise de Sistema, Analista de Teste, adora desafios e é motivada por coisas novas, adepta a mudanças, brincalhona, adora interagir com as pessoas, mas acima de tudo é comprometida ;)

Postado em: 13 de maio de 2015

Confira outros artigos do nosso blog

Introdução ao Dev-Test Pairing

13 de junho de 2018

Caio Rizolli

Falando sobre Teste de Intrusão (ou PenTest)

03 de abril de 2018

Jacqueline Costa

Protractor – Testes automáticos end-to-end para aplicações em Angular

07 de dezembro de 2017

Jacqueline Costa

Testes em Node.js

04 de dezembro de 2017

Alan Cesar Elias

Deixe seu comentário