AS TRÊS LINHAS DE DEFESA NO GERENCIAMENTO EFICAZ DE RISCOS E CONTROLES

O Instituto de Auditores Internos do Brasil (IIA Brasil) possui uma cartilha conhecida como “As Três Linhas de Defesa”, publicado em janeiro de 2013. Apesar do assunto não ser tão recente, este modelo tem sido citado sistematicamente em palestras e adotado por várias instituições como referencia na estratégia para implantação de um sistema de gerenciamento de riscos operacionais e controles internos nos dias atuais.

Esse documento “As Três Linhas de Defesa”, demonstra como funciona o modelo criado pela Comunidade Europeia, separando áreas, funções e profissionais de forma específica para que possam ser coordenadas com eficácia e eficiência, definindo responsabilidades claras e estabelecendo limites para suas responsabilidades, permitindo que haja clareza em como seus cargos se encaixam na estrutura geral de riscos e controles da organização.

Resumidamente pode se definir o modelo de Três Linhas de Defesa da seguinte forma:

A 1º Linha de Defesa é a área de negócio, responsável por identificar, mensurar, avaliar e mitigar os riscos de seu negócio. Cada unidade de negócio tem riscos operacionais inerentes e é responsável por manter controles internos eficientes e implementar ações corretivas para resolver deficiências em processos e controles.

A 2º Linha de Defesa inclui funções de gerenciamento de risco e conformidade, deve trabalhar em conjunto com a área de negócios para garantir que a 1º linha de defesa tenha identificado, avaliado e reportado corretamente os riscos do seu negócio.

A 3º Linha de Defesa é representada pela Auditoria Interna, que deve revisar de modo sistemático e eficiente as atividades das duas primeiras linhas de defesa e contribuir para seu aprimoramento.

Em abril de 2013, o jornal Valor Econômico publicou levantamento global da KPMG acerca do nível de confiança dos conselhos de administração e comitês de auditoria das companhias brasileiras nos sistema de gerenciamento de riscos de suas empresas, observando que apenas 13% os consideravam “robusto e maduro”, reforçando a necessidade de realização de mudanças e investimentos neste sistema.

Durante o 2º Seminário da FEBRABAN sobre Controles Internos, realizado em março de 2015, diversos palestrantes abordaram esse assunto, tais como o palestrante Erich Schumann cujo link da apresentação se encontra no final do texto.

A importância cada vez maior da tecnologia também se observa nesta área, deixando clara a necessidade de utilização de sistema de informação e gerenciamento de riscos e controles que tenham a robustez e maturidade desejadas e possam contribuir com a implementação destas três linhas de defesa.

A MATERA|mvar possui o produto de GESTÃO DE RISCO OPERACIONAL E CONTROLES INTERNOS, flexível e de fácil usabilidade podendo ser customizado para dar o suporte necessário às empresas de qualquer segmento de mercado, a implantação deste modelo eficaz e sensato de controle da governança..

Para saber mais sobre o assunto acesse:

http://www.iiabrasil.org.br/new/2013/downs/As_tres_linhas_de_defesa_Declaracao_de_Posicionamento2_opt.pdf

http://www.febraban.org.br/7Rof7SWg6qmyvwJcFwF7I0aSDf9jyV/sitefebraban/Erich%20Schumann.pdf

Por ANDREA BOLCERO

Postado em: 01 de abril de 2015

Confira outros artigos do nosso blog

Novos Requerimentos Regulatórios para Risco de Liquidez

04 de novembro de 2016

Alexandre Oliveira

Soluções da MATERA Systems já atendem às resoluções de Nova Cobrança e Gestão de Capital

20 de junho de 2016

Vania Hoshii

MATERA MVAR marcará presença no GRC Summit 2016

09 de março de 2016

Valmir Massafera Jr

MATERA MVAR marcará presença no 5º Congresso Internacional de Gestão de Riscos

18 de setembro de 2015

Caue dos Santos Pereira

Deixe seu comentário