Campinas "segura" na Ciatec megainvestimento bancário

A MATERA, localizada também no polo de tecnologia citado abaixo, gostaria de compartilhar com seus leitores a boa notícia que irá gerar grandes investimentos para a região , já consolidada como uma das principais desenvolvedoras de tecnologia do país.

 

Banco vai instalar o Centro Tecnológico de Operações, no valor de R$ 1 bilhão, no polo 2 do Ciatec.

O Itaú-Unibanco escolheu Campinas para instalar o seu Centro Tecnológico de Operações (CTO), que irá gerar investimentos em alta tecnologia de R$ 1 bilhão, sendo R$ 500 milhões na primeira fase. O acordo para que o banco viesse para Campinas foi formalizado esta semana e terá como contrapartida da instituição financeira a extensão da Avenida Guilherme Campos (que tem início no Shopping D. Pedro) até o polo 2 da Companhia de Desenvolvimento do Polo de Alta Tecnologia de Campinas (Ciatec), e ampliação da estrada municipal que passa pelo CPqD e dá acesso ao Ciatec, área onde o Itaú irá se instalar.

 

O centro de operações do Itaú-Unibanco em Campinas irá gerenciar as operações bancárias na América Latina. A instituição já tem instalado na cidade o data center de Disaster Recovery — o conjunto de procedimentos para atenuar a parada dos equipamentos em caso de desastre natural ou intervenção humana. O projeto do centro de tecnologia foi protocolado na Secretaria de Urbanismo e o banco está providenciando o registro da área em cartório, segundo o secretário Luiz Yabiku.

 

Campinas correu o risco de perder o investimento por conta da insegurança jurídica que se instalou na cidade com a cassação do prefeito Hélio de Oliveira Santos (PDT). O banco passou a buscar áreas na região e Jaguariúna era uma das mais cotadas para abrigar o centro tecnológico. Ao final, a instituição optou por uma área de 1,2 milhão de metros quadrados dentro do Ciatec. Com a definição, a área, que é parte de uma fazenda, será desmembrada para poder receber o empreendimento e as devidas contrapartidas.

 

Jaguariúna e Campinas oferecem basicamente os mesmos incentivos fiscais para a atração de empresas. As duas cidades dão isenção de taxas, alvarás, licenças, isenção ou redução de IPT, ITBI e ISSQN. Campinas tem uma lei específica para empresas de base tecnológica, e Jaguariúna ofereceu a execução ou o ressarcimento de obras de infraestrutura.

 

Mas, tanto Campinas quanto Jaguariúna têm moderna infraestrutura logística e de transporte, mão de obra qualificada e avançados centros de pesquisa e desenvolvimento públicos e privados, que colaboram para intensificar suas vantagens competitivas, impulsionando seu dinamismo. Ambas se destacam pela qualidade de vida que oferecem aos seus habitantes, traduzida nos excelentes indicadores socioeconômicos e na oferta de equipamentos de lazer. A instituição, no entanto, informou que não vai comentar o assunto.

Fonte: RAC

Por MATERA SYSTEMS

Postado em: 06 de outubro de 2011

Confira outros artigos do nosso blog

Nova diretoria de Inovação e Negócios da MATERA busca parcerias

20 de abril de 2017

Vania Hoshii

Páscoa Feliz 2017

18 de abril de 2017

Tamiris Fernanda Cella

Hackathon Internet Banking: UI/UX + APIs

15 de março de 2017

Pedro Farci

Three laws that enable agile software development

09 de março de 2017

Celso Gonçalves Junior

Deixe seu comentário