Certificações Scrum – Scrum Alliance

Existem várias entidades internacionais, como Scrum.org[1] e PMI (PMI-ACP)[2] que emitem certificações voltadas a Scrum e metodologias Ágeis. Neste post vou falar um pouco sobre as principais certificações da Scrum Alliance[3] (figura 1), uma das mais respeitadas organizações do “mundo Ágil”.

Os critérios para certificações têm sofrido mudanças de tempos em tempos (Scrum é iterativo e incremental, certo? :P), este é o processo vigente na data deste post.

CSPO, CSD e CSM

O primeiro nível de certificação está voltado aos papéis existentes no Time Scrum. Existem certificações para Product Owner (CSPO), Desenvolvedor (CSD) e Scrum Master (CSM). Não existe uma sequência para estas certificações (mas a CSM pode fazer parte do processo de CSD, veja abaixo).

Para as três certificações o profissional será apresentado aos conceitos do Scrum e Metodologias Ágeis, um enfoque maior é oferecido de acordo com o papel a ser trabalhado. Abaixo mais detalhes sobre o processo[4]:

  • CSPO (Certified Scrum Product Owner): A certficação de PO consiste em um treinamento de dois dias (16 horas), realizado em uma instituição parceira da Scrum Alliance. O instrutor é responsável pela avaliação, de forma que não existe uma prova específica. Aproveitando bem o curso, você se torna um CSPO.
  • CSD (Certified Scrum Developer): Atualmente são duas formas de obter a certificação CSD. A mais comum é obter a CSM (veja abaixo) e posteriormente realizar um treinamento de três dias (24 horas). A CSM não é obrigatória para realizar um curso de CSD, mas é necessário para obter o certificado. A segunda opção, menos comum, é realizar três cursos (total de 40 horas) e nos dois casos o próprio instrutor avalia o aproveitamento do aluno, para confirmar a titulação.
  • CSM (Certified Scrum Master): Esta é a certificação preferida dos profissionais que atuam em times ágeis, mesmo para pessoas que não desempenham frequentemente papel de Scrum Master. Um Scrum Master preza pelos princípios e valores ágeis, o CSM tem uma visão abrangente da cultura ágil. Para se tornar um CSM é realizado um treinamento de dois dias (16 horas) e um exame. Este exame é online, pode ser realizado de qualquer computador, no dia e horário de sua preferência (após o curso). São 35 questões, com um acerto mínimo de 24 para obter sucesso. A knowledge21 tem um simulado da prova CSM[5].

 

scrum_certifications

Figura 1 – Principais certificações da Scrum Alliance

Todos os treinamentos exigidos pelas certificações são realizados por CSTs (Certified Scrum Trainer), um título muito difícil de conseguir (só existem 5 CSTs no Brasil e menos de 200 no mundo), o que garante um instrutor com muita vivência em práticas Ágeis. Nesta página[6] da Scrum Alliance temos a lista de instituições que realizam os treinamentos e agenda das próximas turmas. O investimento é em torno de 2 mil reais para cada certificação.

A validade das certificações é de 2 anos, e a renovação é feita mediante pagamento de uma taxa de 100 dólares. Se você tem mais de uma certificação, pode agrupá-las em uma única data de expiração e pagar a taxa uma única vez.

CSP

O segundo nível de certificação Scrum (figura 2) é o CSP (Certified Scrum Professional)[7]. Ao contrário das certificações do primeiro nível, esta é uma titulação baseada em experiências com a prática de Scrum e metodologias ágeis (semelhante ao PMP do PMI). A CSP não tem “prova”, mas sim uma espécie de “relatório” onde o avaliador identifica que o profissional de fato tem vivência em projetos ágeis, e como falamos popularmente: “tem ágil no coração!” S2. Para submeter a CSP é preciso:

  • Possuir uma das certificações de primeiro nível (CSM, CSPO ou CSD), dentro da validade.
  • Mínimo de 36 meses de experiência de trabalho com Scrum/Ágil nos últimos 5 anos.
  • Obter 70 SEUs (Scrum Education Units) referentes aos 3 anos anteriores. Estes “SEUs” são “pontos” que você obtém através de cursos oficiais, participação em eventos da comunidade ágil, eventos oficiais da Scrum Alliance, preparação de palestras e até leitura de livros sobre práticas ágeis. Sua certificação de primeiro nível também conta (16 SEUs para CSM e CSPO e 24 para CSD – cada SEU corresponde a uma hora do curso oficial). Existe um limite de pontos que pode ser usado com cada tipo de atividade, mais detalhes no site: https://www.scrumalliance.org/certifications/practitioners/csp-certification/ways-to-earn-seus.

Todo o preenchimento de informações é feito no site da Scrum Alliance. O custo total da certificação é de 250 dólares, sendo 100 (não reembolsável) para solicitar avaliação e 150 para obter o certificado (após confirmação da aprovação).
A validade da CSP também é de 2 anos (suas certificações de primeiro nível passam a ter o vencimento junto com a CSP) e a para renovação são exigidos mais 40 SEUs e 250 dólares de taxa[8]. Atualmente no Brasil temos menos de 80 CSPs.

certificacoes-scrum-alliance

Figura 2 – Trilha de certificações Scrum Alliance

Além do reconhecimento no marcado, o profissional certificado tem uma conta ativa no portal da Scrum Alliance, onde pode participar de grupos de discussão, eventos, submeter artigos e ter uma contato maior com a comunidade ágil no mundo. A MATERA conta com mais de 10 profissionais com certificações oficiais da Scrum Alliance. Trabalhamos há mais de 5 anos com metodologias Ágeis nas engenharias do produto MATERA Banco e MATERA Gestão Empresarial, utilizando as melhores práticas de Scrum, XP, KanBan, entre outras.

REFERÊNCIAS e LINKS EXTERNOS

[1] https://www.scrum.org/assessments/

[2] http://www.pmi.org/certification.aspx

[3] https://www.scrumalliance.org/

[4] https://www.scrumalliance.org/certifications

[5] http://www.knowledge21.com.br/simulado-de-scrum-para-a-prova-de-certificacao-da-scrum-alliance-certified-scrummaster/

[6] https://www.scrumalliance.org/courses-events/course

[7] https://www.scrumalliance.org/certifications/practitioners/csp-certification

[8] https://www.scrumalliance.org/certifications/renewing-certifications

Por ANDRÉ SUMAN

Computeiro, mágico, sanfoneiro, motorista pós-balada, cantador de bingo... entre outras atribuições.

Postado em: 18 de março de 2016

Confira outros artigos do nosso blog

Do Scrum para o Kanban: quais são os desafios dessa transição?

02 de julho de 2018

Reinaldo Simizu

Como a comunicação influencia em times ágeis?

15 de junho de 2018

Ariane Ferreira Izac

Vamos falar sobre métricas Kanban?

21 de maio de 2018

Ricardo Augusto Shikota

Método Kanban: primeiros passos

10 de maio de 2018

João Paulo Grabosque

Deixe seu comentário