DISASTER RECOVERY: GARANTINDO A DISPONIBILIDADE DE DADOS

A segurança de dados é fundamental para garantir integridade, acessibilidade e velocidade de informações em ambientes corporativos. Desta forma, há no mercado diversas tecnologias baseadas em sistemas de gerenciamento de banco de dados para garantir segurança da informação. Em um ambiente de banco de dados, muitos níveis de recuperação de dados podem ser implementados. Para tal, tecnologias como a de flashback estão disponíveis no mercado, e permitem executar operações a níveis de, transação, tabela e consulta de dados, por exemplo.

Neste contexto, existem ferramentas como o Recovery Manager (RMAN) da Oracle, que permitem configurar diferentes tipos de backups, incluindo:

  • completo (banco de dados off-line);
  • incremental (banco de dados on-line);
  • por backupset (incremental dos blocos alterados);
  • flash back recovery (recuperação rápida de dados).

Tais ferramentas permitem utilizar o conceito de alta disponibilidade em nível de instância, de forma a possibilitar a clusterização de Bases de Dados Oracle com a tecnologia Real Application Clusters (RAC). Esta última pode ser configurada para operar com redundância de memória e de processos, aumentando assim o desempenho do sistema em ambientes com muitos usuários e, consequentemente, operações sobre os dados armazenados.

Além da recuperação de dados, a disponibilidade e proteção dos mesmos também são fatores determinados em ambientes de produção da maioria das corporações.  Neste sentido, algumas soluções empregadas envolvem a criação de um armazenamento secundário de dados para manter uma cópia quase idêntica dos dados originais. Essa abordagem, conhecida como site backup ou disaster recovery site, permite que uma corporação mantenha seus dados protegidos em caso de ocorrência de algum tipo de desastre (natural ou criminoso), ou devido a indisponibilidade do sistema original onde os dados foram armazenados, garantindo assim acesso imediato à informação. A ferramenta Data Guard, da Oracle, permite replicar dados para um banco de dados secundário e em stand by, o qual pode ser utilizado automaticamente para substituir o armazenamento principal em caso de indisponibilidade.

Banco de dados é uma área bastante ampla e, num contexto geral, é fundamental para permitir ou facilitar o acesso rápido a dados quando os mesmos tendem a crescer em volume e complexidade. Segundo (OLIVEIRA, 2002), em um ambiente coorporativo, as informações devem estar disponíveis para qualquer número de usuários de forma concomitante e segura.

No próximo post, estarei falando sobre a Ferramenta Oracle Data Guard da Oracle. Acompanhe a Matera Systems também nas redes sociais!
#SomosTodosMATERA

Por ELISANGELA SILVA MORAIS

Postado em: 04 de setembro de 2015

Confira outros artigos do nosso blog

REST não é JSON

21 de agosto de 2017

Bruno Sofiato

[Webinar] Profile de aplicações Java com Oracle Mission Control e Flight Recorder

24 de julho de 2017

Danival Calegari

Criando Mocks de serviços REST com SoapUI

27 de junho de 2017

Monise Costa

JavaScript 6: diferença entre var, let e const

09 de maio de 2017

Otávio Felipe do Prado

Deixe seu comentário