Empatia x Ambiente de Trabalho

Atualmente, muito se tem falado sobre o tema empatia e que as pessoas devem ser empáticas, principalmente no ambiente de trabalho.

Mas, o que é empatia? Será que isso é simples assim? Será que resolve todos os problemas do dia a dia?

“Empatia é a capacidade de se colocar no lugar do outro. É a capacidade de sentir o que uma outra pessoa sentiria.”

Mas como se faz isso?
Ser empático não é simplesmente se colocar no lugar do outro. É ser capaz de “enxergar” as coisas na perspectiva de outra pessoa.
É a capacidade de entender as razões do outro, sem julgamentos ou pré-conceitos, é “ouvir” no sentido puro da palavra.

E no ambiente profissional, isso é muito importante e ajuda a evitar muitos conflitos.
Quantas vezes, colegas de trabalho deram uma opinião e estas por não serem ouvidas direito, acabaram gerando discussões? Isso reflete diretamente no clima de trabalho.

Se nestes casos, fosse habilitado o “módulo” da empatia, esses conflitos seriam reduzidos ao máximo e eventualmente nem existiriam.

Mas será que ser empático é simples e fácil?
Não, não é, há de se concordar com isso. E isso seja em qualquer ambiente em que se esteja inserido.

No meio organizacional, é mais complicado ainda, pois em ambientes onde muitas vezes é necessário respostas rápidas, não há tempo para parar e pensar em ser empático ou em se colocar no lugar do outro.

Como fazer então?
Exercitando. Muitas das coisas se aprende treinando e com empatia não seria diferente.
Esse tipo de abordagem requer treinos e mais treinos já que é necessário, na maioria das vezes, ouvir e pensar nas respostas mais coerentes em frações de segundos.

Como começar?
Comece nas situações diversas do dia a dia, pensando em como se sentiria se estivesse na pele da outra pessoa.

Em conversas ou até mesmo nas pequenas discussões, se “coloque” como se, fosse você quem estivesse falando aquelas palavras ou dando aquela opinião.

Depois aplique isso também no ambiente de trabalho e com isso verá que com o tempo, a habilidade de ouvir e se colocar no lugar do outro se tornará cada vez mais natural, gerando assim empatia e um clima organizacional melhor.

Por SABINE FINHANA

Analista de Requisitos, blogueira nas horas vagas e MATERANA há quase 7 anos. Por ter adotado um novo estilo de vida, hoje é apaixonada por atividade física e tenta passar tudo o que aprendeu a quem estiver disposto a aprender e ouvir um pouco da sua história.

Postado em: 26 de outubro de 2016

Confira outros artigos do nosso blog

Inclusão e deficientes visuais: vamos falar sobre isso?

18 de maio de 2018

Evandro Chequi

MATERA patrocina evento de empreendedorismo para jovens

05 de setembro de 2017

Caue dos Santos Pereira

Participe deste bate-papo e conheça as nossas práticas de gestão de inovação

21 de agosto de 2017

Vania Hoshii

Folia foi o que não faltou!

10 de julho de 2017

Tatiana Araujo

Deixe seu comentário