Tags:

Entrevista

O MATERE-se entrevistou Paulo Dalla Nora Macêdo, presidente do Banco Gerador, sobre sua carreira e o crescimento do banco na região Norte e Nordeste do país.

Blog MATERE-se: Paulo, você é provavelmente um dos banqueiros mais jovens do Brasil. Fale um pouco do seu currículo e carreira.
Macêdo: Possuo MBA pelo INSEAD/França e graduação em Economia na UFPE. Desenvolvi carreira executiva por mais de dez anos no Grupo Nordeste,
onde coordenei o processo de aquisição da Norsergel, a maior empresa de transportes e segurança de valores do Norte do Brasil, na época. Durante este período, passei por todas as áreas da empresa e ajudei a companhia a alcançar a liderança nacional na área de Segurança Privada. Após a experiência no Grupo Nordeste, passei um período no exterior, onde cursei MBA em Administração no Insead e tive uma experiência profissional no Lloyds Bank TSB. Retornei ao Brasil para dar início ao projeto do Banco Gerador.

Blog MATERE-se: O Banco Gerador é um dos mais novos do mercado e começou a operar num momento em que se vê muitas consolidações, principalmente grandes bancos comprando bancos menores. Neste contexto, como surgiu a ideia do Banco Gerador?
Macêdo: O Banco Gerador surgiu como fruto do processo de amadurecimento da Região Nordeste. O maior desenvolvimento da região gerou uma necessidade de aumento da oferta de serviços financeiros qualificados e o Gerador veio para atender esse público e diminuir a carência das áreas menos atendidas pelo setor bancário. A ideia de criar uma instituição com atuação regional surgiu em meados de 2007, quando um grupo de empresários nordestinos observou que havia carência de capital financeiro capaz de atender às demandas locais por crédito. Os sócios já possuíam atuação de destaque em outros segmentos no Norte e Nordeste, o que foi fundamental para a escolha da região, além do já citado desenvolvimento da Região.

Blog MATERE-se: Quais os diferenciais para competir num mercado tão acirrado?
Macêdo: Nossos principais diferenciais, hoje, são a agilidade, proximidade e o conhecimento da região. O modelo de gestão e a nossa localização permitem ao Banco Gerador estar mais próximo do cliente, com rapidez e agilidade nas decisões.

Blog MATERE-se: Quais os principais produtos do banco e as regiões em que atua?
Macêdo: Atuamos nacionalmente, mas nosso foco são as regiões Norte e Nordeste, que atualmente não se constituem mercado prioritário para os maiores players desse setor. Os nossos principais produtos destinados à pessoa física são o Empréstimo Consignado e o Cartão de Crédito Consignado, voltados para os consumidores das classes C e D. Acabamos de lançar também o Banorte Todo Dia, cartão direcionado ao setor de varejo (supermercados e pequenas distribuidoras de alimentos) nas classes C e D. O cartão é o primeiro produto do Banco a assinar com a marca Banorte, marca de forte apelo na Região, adquirida pelo Gerador esse ano. Na área de pessoa jurídica, o Banco Gerador busca atender empresas familiares de atuação regional com características inovadoras e expressiva participação no seu mercado, oferecendo produtos como Capital de Giro e Antecipação de Recebíveis.

Blog MATERE-se: Durante a constituição da instituição, quais foram os principais desafios?
Macêdo: Sem dúvida foi mostrar ao mercado que era possível a montagem de um banco especializado no Norte e Nordeste.

Blog MATERE-se: E os resultados já conquistados, estão dentro do esperado?
Macêdo: Sim, fomos o Banco que mais cresceu percentualmente no Brasil no primeiro semestre de 2010. Devemos encerrar 2010 com R$ 185 milhões de ativo total e R$ 125 milhões de carteira de crédito total, com uma carteira de 30.000 clientes. Vamos fechar 2010 consolidando esse crescimento e, com apenas 22 meses de operação, superando todas as expectativas do plano de negócios inicial.

Blog MATERE-se: Existe muito debate entre os gurus de Estratégia com relação ao papel da Tecnologia da Informação. Alguns dizem que é algo que tende à comoditização, e não gera diferencial competitivo. Outros defendem o contrário, que pode ser uma arma das empresas na disputa pelo mercado. Como você avalia o papel da TI especificamente dentro de uma Instituição Financeira?
Macêdo: É importante ressaltar que hoje praticamente todo o meio circulante se dá através de transações eletrônicas. Desta forma nas instituições financeiras, hoje, a TI tem um papel estratégico tanto pelo aspecto da segurança das informações, quanto na geração de diferenciais competitivos em um mercado altamente concorrido, onde todos os players do mercado têm um elevado nível de informatização de seus processos.

Blog MATERE-se: Qual tem sido o papel da MATERA no Banco Gerador? Como tem sido o relacionamento?
Macêdo: A MATERA hoje é um importante parceiro do Banco Gerador, pois seus aplicativos são os responsáveis por todo o atendimento às exigências legais em um mercado fortemente regulamentado. Nosso relacionamento com a MATERA, que se iniciou logo na abertura da instituição, sempre foi pautado pelo profissionalismo e parceria das equipes de atendimento da mesma.

Blog MATERE-se: Quais as principais apostas para o 2011? Muitos projetos novos?
Macêdo: Atualmente, o capital social do banco é de R$ 50 milhões e até o final de 2011 a ideia é elevar o capital para R$ 100 milhões. Em médio prazo pretendemos ter presença física nas principais capitais do Norte e Nordeste, porém, sempre atentos a oportunidades de nicho, sem pretender entrar na disputa do mercado de varejo dos produtos financeiros distribuídos pelos grandes bancos com redes de agências. Nossa intenção é expandir usando parcerias estratégicas, com varejistas da região por exemplo, através do cartão Banorte Todo Dia, pois dessa forma vamos acessar uma parcela da população que ainda é pouco servida pelo sistema bancário.

Por MARKETING

Postado em: 21 de dezembro de 2010

Confira outros artigos do nosso blog

Nova diretoria de Inovação e Negócios da MATERA busca parcerias

20 de abril de 2017

Vania Hoshii

Páscoa Feliz 2017

18 de abril de 2017

Tamiris Fernanda Cella

Hackathon Internet Banking: UI/UX + APIs

15 de março de 2017

Pedro Farci

Three laws that enable agile software development

09 de março de 2017

Celso Gonçalves Junior

Deixe seu comentário