Tags:

Fintechs de grandes grupos econômicos são as próximas concorrentes bancárias

Transformação digital do sistema financeiro fará Fintechs de redes de varejo, logística e operadoras disputarem mercado com os “Bancos Tradicionais”. Na área de desenvolvimento de softwares, quem desbravou esse novo mercado, já colhe resultados. MATERA Systems foi uma das pioneiras a oferecer uma solução completa para as Fintechs e bancos digitais e, neste mês, anuncia ter batido seu próprio record de vendas, superando em quase 12% sua meta.

Qual é o melhor índice para medir o crescimento de um mercado? E quando se trata de um produto inédito, que ainda precisa despertar o interesse dos consumidores, mostrar suas vantagens aos parceiros e abrir caminho para uma série de inovações subsequentes? Em TI esse tipo de desafio é recorrente. Foi assim com os computadores, celulares, tablets, armazenamento em nuvem, aplicativos. Agora é a vez da transformação digital do sistema financeiro onde as Fintechs vão disputar mercado com os “Bancos Tradicionais”.

Na área de desenvolvimento de softwares, quem desbravou esse novo mercado, já colhe resultados. MATERA Systems foi uma das pioneiras a oferecer uma solução completa para as Fintechs e bancos digitais e, neste mês, anuncia ter batido seu próprio record de vendas, superando em quase 12% a meta, que no cenário de recessão profunda, já era audaciosa.

A empresa, que já atende mais de 100 instituições financeiras, desponta como fornecedora líder do mercado que as Fintechs BePay, NuBank, GuiaBolso, Mercado Bitcoin, Catarse e Mercado Pago apostam. “Lideramos este novo mercado, pois nossa solução atende praticamente todas as necessidades de uma Fintech, incluindo conta digital, carteira digital, pagamento móvel, contabilidade COSIF, JUD, CCS, SPB e integração com bancos. Somos Cloud First e API First, que permite à Fintech ir direto para a experiência de uso, criando soluções inovadoras em um curto espaço de tempo. Em um mercado que exige velocidade, reinventar um backoffice bancário não é uma opção”, aposta Carlos Augusto Leite Netto, CEO da MATERA Systems

O faturamento da empresa tem crescido de forma robusta nos últimos três anos, em plena crise mundial. Em 2015, aumentou 40%, chegando a R$70 milhões no ano. No ano passado, alcançou R$86 milhões e as vendas já realizadas neste ano devem gerar uma receita futura na casa de R$100 milhões.

Esse cenário é reflexo do que vem pela frente, e que ampliou fortemente o tamanho do mercado alvo da empresa: “Grupos econômicos tradicionais que orquestram milhares de contas digitais (como transportadoras, empresas de venda direta, grandes redes de varejo) irão se beneficiar com a criação de uma Fintech própria”, aponta Netto.

De acordo com o executivo, a próxima onda virá das redes de varejo e financeiras, onde o crédito pode ser espalhado na velocidade dos downloads. “A transformação digital dos bancos já não é uma realidade apenas dos visionários. Esses já investiram e começam a colher os resultados. Agora os pragmáticos vão seguir os passos dos visionários e a taxa de crescimento deste mercado vai explodir.”, aposta Netto.

A plataforma MATERA Banco Digital é a mais completa do mercado, atende a todos os requisitos regulatórios e ainda permite outras formas de relacionamento com clientes como cupons de desconto, gift cards, programas de fidelidade e compra a partir de anúncios, por exemplo. Uma das inovações é contar com a exclusiva tecnologia de pagamento móvel presencial sem internet, com patente requerida nos Estados Unidos e Brasil, o que viabiliza o uso de smartphones para fazerem pagamentos sem risco de criar filas motivadas por problemas de conectividade.

Por CAUE DOS SANTOS PEREIRA

Bacharel em Publicidade e Propaganda com ênfase em Marketing pela PUC Campinas, com especialização em Gestão Estratégica da Inovação pela Unicamp. É especialista em gestão de marcas, inovação aberta, posicionamento produtos e empresas, estratégias de marketing e inovações no mercado financeiro.

Postado em: 17 de outubro de 2017

Confira outros artigos do nosso blog

Open Banking já é realidade no Brasil

11 de junho de 2018

Caue dos Santos Pereira

O impacto do open banking no mercado brasileiro de fintechs

19 de abril de 2018

Bruno Xavier Barbosa

Deixe seu comentário