Instalando o Node.js e usando o REPL

Se você está começando a desenvolver em JavaScript agora, é importante saber que as ferramentas de desenvolvimento são geralmente orientadas para linha de comando, pois ela oferece um melhor suporte para automatizar as tarefas de desenvolvimento.

Node.js é um ambiente de tempo de execução JavaScript (JavaScript runtime environment) construído utilizando o interpretador de JavaScript V8 do Google Chrome. Com Node.js é possível executar código JavaScript fora dos navegadores, que até então, era a forma mais comum de executar esses códigos. O Node.js também é usado para escrever código JavaScript executável do lado do servidor. Ele sabe lidar eficientemente com eventos de entrada/saída sem bloqueio, e além disso, é orientado a eventos, o que faz dele leve e eficiente.

Inicialmente o Node.js foi construído com objetivo de ser um interpretador de código JavaScript que funciona do lado do servidor, porém hoje ele é mais do que isso. Utilizado por diversas ferramentas JavaScript, ele é muito usado pelos desenvolvedores front-end. Atualmente, muitas ferramentas utilizam o motor do Node.js, sendo a mais conhecida delas o Npm.

Npm é uma abreviação de Node Package Manager (Gerenciador de Pacotes do Node). Esse gerenciador trabalha com um repositório online que serve para publicar projetos de código aberto e disponibilizá-los para o Node.js. O Npm pode ser considerado como um utilitário de linha de comando que interage com este repositório online para ajudar na instalação de pacotes, gerenciamento de versão e de dependências. Em outra palavras, o Npm é o gerenciador de pacotes do Node.js. Ele é o responsável por encontrar, compartilhar e reutilizar os pacotes de código JavaScript de centenas de milhares de desenvolvedores – e montá-los em novas e poderosas maneiras. O Npm é instalado automaticamente junto com o NodeJS e através de seu repositório online fornece acesso a uma grande variedade de módulos escritos em JavaScript por terceiros.

Basicamente, o Npm gerencia as dependências da aplicação através de um arquivo chamado “package.json” e através do comando “npm install” é feito a definição, transferência e instalação das dependências deste arquivo.

Para mais informações sobre  gerenciador de dependências: Gerenciando dependências no frond end.

Instalando o Node.js no sistema operacional Windows

O site do Node.js lista para nós duas opções: “Windows Binary (.exe)” e “Windows Installer (.msi).” Para desenvolvimento não recomendo que seja instalado a versão “Windows Binary (.exe)”, uma vez que ela não contém coisas importantes, como o Node Package Manager (NPM). Também é recomendado que você escolha o instalador com base na arquitetura do seu sistema operacional (32 ou 64 bits).

Node.js fornece instaladores para Windows, Mac OS e Linux, sendo portanto multiplataforma e podendo ser rodado em qualquer sistema operacional. Os instaladores podem ser baixados aqui.

Recomendo que a instalação seja realizada no diretório padrão com as opções default, portanto não tem segredo: basta seguir clicando em “next”. É especialmente importante que você permita que o instalador modifique a variável de ambiente PATH conforme imagem abaixo:

add_to_pathApós a instalação, desinstalar e reinstalar o Node.js são operações extremamente fáceis de realizar. Se você executar o instalador novamente, você verá a opção Change, Repair e Remove, referente a instalação recém realizada.

chane_repair_remove

Usando o REPL

Quando instalamos o Node.js ele nos fornece via terminal um REPL (read-evaluate-print-loop) para que possamos rodar código JavaScript sem precisarmos de um navegador. Quando digitamos “node” (sem aspas) no prompt de comando/terminal, ele automaticamente redireciona para o REPL:

node

Através do REPL podemos executar qualquer código JavaScript e ver seu resultado:

node_2

Perceba que, em cada etapa, o REPL imprime o resultado da última instrução executada. Para executar várias linhas, basta colocá-las entre chaves. O REPL usa (…) para denotar que está aguardando o código completo antes de executar. Basta fechar as chaves e pressionar Enter para que o REPL avalie o JavaScript inserido. Para sair de dentro de um bloco (…) sem executar o que você já digitou, basta digitar .break ou pressionar Ctrl + C.

node_3

O REPL é ótimo quando você quer testar alguns códigos JavaScript e certificar-se de que eles funcionam da maneira que você gostaria. Para sair do REPL basta digitar .exit (ou Ctrl + D).

Executando arquivos JavaScript através do Node.js

Até aqui, vimos como executar o JavaScript digitando-o no REPL. No entanto, é mais comum escrevermos arquivos de script e executá-los através do Node.js. Podemos mandar um arquivo JavaScript para ser executado no Node.js simplesmente passando esse arquivo para o node na linha de comando. Por exemplo, vamos criar um novo arquivo chamado helloworld.js contendo um simples console.log:

notepad

Em seguida, execute o comando “node helloworld.js” na linha de comando a partir do diretório onde está o arquivo JavaScript (no meu caso em C:\teste).

nodepad_result

O Node.js executa o JavaScript de entrada de cima para baixo, assim como um navegador. Por convenção, em projetos NodeJS com vários scripts, é interessante nomear o arquivo principal como “app.js”, dessa forma todos saberão qual arquivo deve ser executado para inicializar sua aplicação.

Como podemos ver, começar a trabalhar com Node.js é simples, precisamos apenas de um editor de texto e de um terminal. Além disso, ambientes de desenvolvimento como WebStorm e Visual Studio Code tem suporte para integração com o Node.js.

Se interessou pelo assunto? Então não deixe de ler: primeiros passos com Node.JS

Por OTÁVIO FELIPE DO PRADO

Analista de Sistemas MATERANO, atua no desenvolvimento de software na plataforma Java desde 2012, adora programação e se aventurar no mundo da tecnologia, está sempre buscando evoluir e aprender um pouco a cada dia.

Postado em: 01 de fevereiro de 2017

Confira outros artigos do nosso blog

REST não é JSON

21 de agosto de 2017

Bruno Sofiato

[Webinar] Profile de aplicações Java com Oracle Mission Control e Flight Recorder

24 de julho de 2017

Danival Calegari

Criando Mocks de serviços REST com SoapUI

27 de junho de 2017

Monise Costa

JavaScript 6: diferença entre var, let e const

09 de maio de 2017

Otávio Felipe do Prado

Deixe seu comentário