Integração com Facebook através do Open Graph

open_graph_1

O conceito de Open Graph foi introduzido no Facebook em 2010 como um mapa de relacionamentos e conexões, sendo o relacionamento mais comum o botão Curtir. Após a criação da Timeline, esse mapa de relacionamentos foi estendido para além do botão Curtir, sendo possível criar diversos tipos de ações, como por exemplo: “Ana assistiu um filme”, “João esteve em uma pizzaria”, “Luis ouviu uma música”.

 

 

 

Open Graph transforma, através de metadados inseridos no código, qualquer página web em um objeto do Facebook. É possível criar relacionamentos de ações com esse objeto, de acordo com as configurações de seu app no Facebook.

Para utilizar o Open Graph, é necessário criar um app no Facebook. Ao editar seu app, haverá a opção Open Graph que é composta de três configurações: tipos, históricos e coleções.

Um tipo é o objeto que irá sofrer a ação, aquele que é configurado com os metadados em sua página. Por exemplo, uma loja virtual pode ter o tipo Product que possui diversas propriedades comuns entre os objetos do Facebook, como name, title e url, além de propriedades próprias, como price, weight, e color. Um exemplo de produto é mostrado na figura abaixo:

open_graph_3

As propriedades do objeto criado são configuradas com os metadados, como no exemplo abaixo:

open_graph_4

Um histórico é a ação a ser executada em um objeto. O nosso produto pode, por exemplo, ser desejado por algum cliente; então pode ser criada a ação wish associada a Product que irá gerar o histórico Wish a Product. Os nomes de ações e objetos devem ser criados em inglês. Após o Facebook aprovar a utilização de sua história, é possível criar traduções.

É essa história que será mostrada na linha do tempo de um usuário do Facebook quando ele realizar uma ação do Open Graph. No nosso exemplo seria algo como “Alguém wished Meu Produto on Minha Loja”. No exemplo abaixo, um usuário do Facebook avaliou um livro:

open_graph_5

Por fim, coleções formam um agrupamento de uma determinada história na timeline do usuário, como aquelas seções de músicas e filmes que aparecem em sua timeline.

As histórias e coleções criadas devem ser enviadas para revisão do Facebook, o que leva cerca de dois dias úteis. Somente após serem aprovadas, elas podem ser utilizadas por usuários do Facebook.

Portanto, a utilização de Open Graph proporciona uma maior visibilidade para sua marca ou empresa, oferecendo uma maneira interativa de propagação pela rede social, alcançando pessoas que formas mais tradicionais de propaganda podem não atingir, além de ser um serviço de fácil configuração.

Referências

  1. Facebook Developers – Open Graph. Disponível em <https://developers.facebook.com/docs/opengraph/>. Visualizado em 15/08/2013.

Por MATERA SYSTEMS

Postado em: 19 de agosto de 2013

Confira outros artigos do nosso blog

REST não é JSON

21 de agosto de 2017

Bruno Sofiato

[Webinar] Profile de aplicações Java com Oracle Mission Control e Flight Recorder

24 de julho de 2017

Danival Calegari

Criando Mocks de serviços REST com SoapUI

27 de junho de 2017

Monise Costa

JavaScript 6: diferença entre var, let e const

09 de maio de 2017

Otávio Felipe do Prado

Deixe seu comentário