Os mitos da inovação – Parte 1

No post A importância da cultura de inovação para as organizações nós falamos a respeito da importância da cultura da inovação para as organizações e de como a cultura pode influenciar no processo inovativo. Agora é hora de abordarmos alguns mitos formados ao redor do tema e provocar reflexões nas pessoas e nas organizações que estão entrando ou já estão embarcadas nessa jornada chamada ‘Inovação’.

 

  • Mito #1: Somente Startups podem inovar

innovation_is_for_everybodyFelizmente, para os empreendedores, diversas grandes empresas ainda (eu disse AINDA!) pensam em deixar a inovação para as Startups. Porém, a situação está mudando e muito rápido! Grandes empresas estão atuando em iniciativas de inovação, como por exemplo, fomentando o intraempreendedorismo ou patrocinando startups que ficam ligadas à estrutura principal da grande empresa;

 

  • Mito #2: Para inovar é necessário fazer uma mudança organizacional em larga escala

targeted_and_focused_teamEm tese, para inovar é recomendado definir claramente alguns poucos objetivos e não provocar muita interferência na operação da empresa. Uma abordagem que funciona na maioria das vezes é lançar mão de equipes dedicadas a estruturar e sustentar os esforços inovadores, e posteriormente, os esforços inovadores são disseminados de maneira calculada e gradual através de toda a organização;

 

 

  • Mito #3: A inovação precisa “do método”

innovation_portfolioO desafio do trabalho inovativo é que ele pode depender de diversos fatores que estão além do controle de “um método” definitivo. Você pode seguir “o método”, fazer tudo certo e ainda assim falhar! A maioria dos livros sobre criatividade fazem grandes promessas que são baseadas na história, mas eles negam que o presente é diferente do passado. E “o método” que é baseado na história também negligencia as diferenças do passado em relação ao presente!
Ao invés de implementar “o método” é mais honesto implementar a ideia de um portifólio de inovação onde as diversas ideias e iniciativas são monitoradas, seguem um fluxo e pode-se assumir riscos calculados.

 

  • Mito #4: O inventor solitário

working_togetherHistórias de gênios que trabalharam sozinhos (de verdade) são absolutamente raras (apesar de populares). Mesmo as pessoas dignas do título de gênio como Mozart, Picasso e Einstein tinham família, professores que lhes ensinaram e mentores. Muitas das patentes de Thomas A. Edison são compartilhadas com os seus colegas de trabalho. Apesar de seu enorme ego ele sabia que colaboração era fundamental para o sucesso. Escolha qualquer ‘gênio’ que você acha que trabalhava sozinho e pesquise sobre a sua história: você ficará surpreso com a quantidade de pessoas que influenciaram o seu trabalho. Aprender a colaborar, dar e receber feedback pode ser mais importante do que o brilhantismo de um gênio. Dica de filme que retrata esse mito: “O jogo da Imitação” – 2014

 

Este foi o primeiro de uma série de posts sobre os mitos da inovação que serão publicados aqui no blog da MATERA Systems ao longo dos próximos meses. Acompanhe a MATERA também nas redes sociais! #SomosTodosMATERA

Por GIULIANO AVILA

Analista de sistemas desde o século XX :-) Curtindo muito o momento de transição que estamos vivendo e procurando contribuir com a era da revolução digital!

Postado em: 16 de julho de 2015

Confira outros artigos do nosso blog

MATERA patrocina Software Experience 2017

05 de outubro de 2017

Caue dos Santos Pereira

Nova diretoria de Inovação e Negócios da MATERA busca parcerias

20 de abril de 2017

Vania Hoshii

Retrospectivas Bombásticas – Keep Talking and Nobody Explodes

17 de março de 2017

Bruno Gonçalves Zanutto

Prato de hoje: Retrospectiva

02 de fevereiro de 2017

André Suman

Deixe seu comentário