PADRÃO ISO PARA QUALIDADE/USABILIDADE DE SOFTWARE

Segundo a norma ISO 9000 (versão 2000), a qualidade é o grau em que um conjunto de características, relacionadas com um produto, processo ou sistema, cumpra os requisitos estipulados para ele. Muitas empresas em decorrência da implantação das políticas de qualidade buscam certificar-se na (ISO).

Existem normas (ISO) específicas para medir a qualidade do software (através de métricas pré-definidas) inclusive no quesito usabilidade. São elas:

ISO 9126
Descreve um modelo de qualidade de um software, abordando itens como: Funcionalidade, Confiabilidade, Operacionabilidade, Eficiência, Manutenibilidade, Produtividade, Segurança e Satisfação. São fornecidas orientações para extrair as medidas necessárias para avaliação da qualidade. Todos os itens abordados pela (ISO) podem ser medidos.

ISO 9241
Define o que é usabilidade e explica como identificar a informação necessária a ser considerada na especificação ou avaliação de usabilidade em termo de medidas de desempenho e satisfação do usuário. É fornecida orientação sobre como descrever as medidas relevantes de usabilidade bem como elas podem ser avaliadas. Aborda assuntos como: Eficácia (quantidade de esforços e recursos necessários para atingir um determinado objetivo), Efetividade (objetivos iniciais versus resultado final de uma interação), Satisfação (nível de conforto que um usuário sente ao utilizar a interface). A (ISO) norteia também outros quesitos como: Diálogo, Condução quanto aos requisitos das tarefas, Apresentações, Menus e Formulários.

O objetivo das (ISO) é descrever tudo o que é importante para que algo possua a qualidade desejada, bem como definir o que pode ou não ser mensurado e avaliado. Não trata-se de um “how-to” para o desenvolvimento, porém podemos utilizá-las para direcionar o desenvolvimento no atingimento das métricas.

Referências
ISO 9126 – Detalhes da ISO
ISO 9241 – Detalhes da ISO

Por ANDRÉ AILTON DOS REIS

Arquiteto de Software, lidando com bits e bytes desde 1990. Músico, fotógrafo e aquarista nas horas vagas.

Postado em: 17 de abril de 2015

Confira outros artigos do nosso blog

REST não é JSON

21 de agosto de 2017

Bruno Sofiato

[Webinar] Profile de aplicações Java com Oracle Mission Control e Flight Recorder

24 de julho de 2017

Danival Calegari

Criando Mocks de serviços REST com SoapUI

27 de junho de 2017

Monise Costa

JavaScript 6: diferença entre var, let e const

09 de maio de 2017

Otávio Felipe do Prado

Deixe seu comentário