Práticas de Startups que todo e-Commerce deveria aplicar: 4- Baby Steps

Como uma criança aprende a andar e, posteriormente, até a correr? Através de pequenos passos ou baby steps. Ela dá um passo de cada vez, sente segurança, observa como seu corpo se comporta e então redireciona para o próximo passo. A analogia é tão simples e verdadeira que muitas Startups aplicam isso em suas concepções de modelos de negócio ou produtos. Não muito distante, o conceito também é a base de práticas como o TDD (Test Driven Development) uma técnica que prevê a criação de testes de software antes mesmo de escrever qualquer linha de código. Apesar do conceito ser muito plausível, colocá-lo em prática exige habilidades de liderança, orientação e foco, além de organização prévia para saber exatamente onde você quer chegar. Com isso, as técnicas já apresentadas aqui de Inception, Prototipação e MVP são essenciais.

footprints-straight-line

Os Baby Steps podem ser encarados como uma maneira de obter feedback rapidamente sobre uma situação complexa e incerta, de modo a torná-la controlada e simples. Isso permite crescimento incremental ao implementar mudanças pouco a pouco de modo a poder observar e controlar aquele pequeno pedaço realizado.

De maneira simplificada:

  1. você define o pequeno próximo passo;
  2. realiza o que foi definido;
  3. observa e avalia o resultado obtido;
  4. define e/ou redireciona o próximo pequeno passo;

O ganho real da técnica de Baby Steps está em realizar partes pequenas e úteis de uma ação, de modo reduzir a complexidade, garantir mais controle e menor esforço de observação sobre cada pedaço entregue.

Pensar em Baby Steps é basicamente pensar “Qual o menor próximo passo possível que eu posso dar em relação ao meu objetivo?”

Num e-commerce, a maioria das ações envolvem muitas frentes, pessoas, parceiros e fornecedores, etc. Portanto, saber segmentar uma ação em Baby Steps com pequenas entregas, pode ajudar você a ditar ritmo mais claramente para os fornecedores e parceiros, a apresentar de maneira mais claras suas necessidades a cada entrega e a alcançar resultados mais satisfatórios.

Um exemplo: você deseja criar um canal de vendas do seu e-commerce dentro do Facebook. São vários passos até poder de fato oferecer um produto para seu cliente dentro da rede social. Requer criação do design, validação, desenvolvimento de software, testes, homologação, envolvimento de fornecedores, etc. Ao invés de fazer e liberar tudo de uma vez para seu cliente, aumentando as chances de falhas, você pode segmentar a funcionalidade e avaliá-las em partes.

Lembre-se de usar os Baby Steps em cenários onde não há muita confiança sobre o que precisa ser feito, bem como sobre o resultado a ser alcançado. As incertezas são mitigadas com a quebra do todo em pequenas partes observáveis. Com isso, cada passo torna-se uma nova conquista, assim como uma criança que aprende a andar!

“Back To The Basics”

Por FABIANO AMARO COSTA

MATERANO na veia. Vive a cultura MATERA desde 2008 em diferentes papeis. Curte cães, carros e fotografia. Acredita na vida em comunidade, compartilhamento de ideias e experiências como forma de melhorar o mundo.

Postado em: 08 de maio de 2015

Confira outros artigos do nosso blog

Manhattan Associates é considerada líder de mercado em WMS pelo Instituto Gartner

18 de março de 2016

Valmir Massafera Jr

[Webinar] Melhores práticas para e-Commerce

05 de janeiro de 2016

Valmir Massafera Jr

Manhattan Associates expande cobertura do mercado nacional com a Kajera

24 de setembro de 2015

Vania Hoshii

Práticas de Startups que todo e-Commerce deveria aplicar: 5- Fail Fast

19 de junho de 2015

Fabiano Amaro Costa

Deixe seu comentário