TeamCity: conheça a ferramenta e seus principais benefícios

TeamCity é uma ferramenta de integração contínua, que consiste em integrar o trabalho diversas vezes ao dia, assegurando que a base de código permaneça consistente ao final de cada integração.

Sua principal caracteristica é a execução de testes automáticos.

De maneira bem sucinta, o TeamCity funciona da seguinte forma: são criados testes automáticos para cada trecho do código que é desenvolvido, e estes testes ficam armazenados no TeamCity.

Toda vez que um desenvolvedor alterar ou criar novos trechos de código, ele primeiro simula o que ocorreria se suas alterações fossem integradas na base de código, rodando os testes apenas em seu computador. Caso haja falhas, o desenvolvedor é notificado e assim ele pode corrigir as falhas sem que isso afete toda a equipe, uma vez que o teste executado foi apenas uma simulação.

Este mesmo processo ocorre, quando o desenvolvedor integra efetivamente o seu código, com o código da base, portanto, se houver falhas nos testes a integração é cancelada.

Isso garante que no controlador de versão só haja códigos funcionando perfeitamente.

Todo esse processo é de suma importância para o desenvolvimento de aplicações, pois a automatização de testes garante um melhor desenvolvimento no projeto, uma vez que, se os casos de testes passarem, o desenvolvedor pode confiar que todos os testes cumprem com os requisitos testados, não tendo um retrabalho posteriormente devido a falhas contidas no código.

A utilização do TeamCity abrange inúmeras vantagens, como a vantagem de que ao escrever os testes, pressupõe-se que o desenvolvedor tenha entendido as especificações e requisitos.

Outra vantagem é que mesmo que ao executar os teste haja falhas, elas poderão ser corrigidas sem interferir no andamento da equipe.

A utilização dessa ferramenta na MATERA trouxe o aumento na produtividade, economia de tempo em outras tarefas e tornou-se grande facilitadora em momentos críticos.

Por MONISE COSTA

Formada em Sistemas de Informação pela PUC Campinas, MATERANA desde 2011. Apaixonada pela área de TI, Analista de Requisitos na maior parte do tempo e desenvolvedora Java/Android por lazer.

Postado em: 29 de novembro de 2011

Confira outros artigos do nosso blog

[Webinar] Profile de aplicações Java com Oracle Mission Control e Flight Recorder

24 de julho de 2017

Danival Calegari

Criando Mocks de serviços REST com SoapUI

27 de junho de 2017

Monise Costa

Three laws that enable agile software development

09 de março de 2017

Celso Gonçalves Junior

Medindo performance de uma API REST

21 de fevereiro de 2017

Monise Costa

Deixe seu comentário