Image without alt
Voltar para todos os posts

O que é e como funciona a gestão de riscos operacionais corporativos

4 of outubro of 2022

A falta de um acompanhamento dos riscos que cercam o mercado financeiro podem impactar negativamente as instituições.

por matera

Compartilhar

Image without alt

A gestão de riscos é um tipo de solução extremamente importante para as instituições financeiras e empresas, que permite um maior controle sobre os possíveis riscos que essas instituições podem se envolver durante suas atividades.

Dentre os diversos tipos de gestão de riscos, está a gestão de riscos operacionais corporativos, que permite um gerenciamento flexível e integrado entre a base de perdas das instituições, os diversos tipos de riscos e controles, planos de ação, normativos e pontos de auditoria identificados pela instituição.

Nesse tipo de solução, a avaliação dos riscos pode ser feita utilizando-se tanto da abordagem de risco inerente, nível de controle e risco residual, quanto pela abordagem de impacto e exposição financeira.

O que esse tipo de gestão abrange?

Analisando a base de perdas das instituições, a gestão de riscos operacionais corporativos permite a captura automatizada ou manual das perdas, registrando todo o histórico dos eventos ocorridos nesse sentido e armazenando as informações de cada evento (data de ocorrência, data de descoberta, data de aprovação, entre outras), permitindo assim uma visão mais ampla de todo o cenário. O mapeamento de riscos, sendo uma forma de mapear os processos para a identificação dos riscos, controles e planos de ação associados, torna os processos de avaliação e monitoramento dos riscos mais organizados. Painel de indicadores, que é construído de forma flexível a partir da captura de variáveis de diversas fontes e naturezas. Planos de Ação, Normativos e Pontos de Auditoria, que permitem a supervisão da execução e finalização destes pontos com o envio de alertas para os envolvidos nas atividades. Testes de Controle, que permite a execução dos testes de controles com base em vários cenários e Testes de Plano de Continuidade de Negócios, que semelhante aos testes de controle, visam validar a aderência desse tipo de plano definido pela instituição. Modelos estatísticos, uma ferramenta que, avaliando a base de perdas, permite a modelagem e a simulação prospectiva de perdas esperadas e não esperadas, bem como análise de sensibilidade sobre os parâmetros ajustados, além de teste de aderência das estimativas realizadas. Relatórios, uma das características dessa solução, que são gerados e extraídos a partir de um módulo específico para essa atividade, o que permite uma análise mais profunda de todas as informações do sistema.

Por fim, quais são os principais benefícios gerados por essa solução?

Alguns dos principais benefícios que esse tipo de gestão pode retornar para as instituições que o utilizam são a captura automatizada para compor a base de perdas, mecanismos para conciliar a base de perdas ao contábil da instituição, visão histórica e multidimensional dos eventos de perda, visão multidimensional das matrizes de risco inerente, nível de controle e risco residual ou da matriz de exposição financeira, além de permitir visões destas matrizes por categorias de riscos corporativos, entre diversos outros.

Conheça mais sobre as nossas soluções de riscos e compreenda os benefícios desse tipo de gestão.